Pular para o conteúdo

Milei formaliza rejeição da Argentina aos Brics: Uma Nova Era na Política Externa

Milei formaliza rejeição da Argentina aos Brics: Uma Nova Era na Política Externa

O presidente da Argentina, Javier Milei, recusou formalmente a entrada no BRICS em uma carta enviada no dia 22 de dezembro e divulgada oficialmente no dia 29 de dezembro.

No documento, Milei informa que sua política externa diverge da anterior. Durante sua campanha, o atual presidente da Argentina afirmou que não iria aderir ao BRICS, pois pretende se aliar aos EUA e Israel.

Fontes do governo brasileiro afirmam que receberam a recusa com “zero surpresa”. Em novembro, Diana Mondino, a ministra de Relações Exteriores, já havia comunicado ao chanceler brasileiro Mauro Vieira, em seu encontro, que a Argentina não iria fazer parte dos BRICS.

Além da Argentina, mais 5 países foram convidados para ingressar, e eles são:

  • Arábia Saudita: Localizada no Oriente Médio, é o maior exportador de Petróleo no mundo com o PIB de US$ 1,1 trilhão (R$ 5,34 trilhões).
  • Egito: Localizado entre a África e o Oriente Médio. É um dos países mais fortes nas negociações internacionais. Seu PIB é de US$ 476 bilhões (R$ 2,3 trilhões).
  • Etiópia: Encontra-se no nordeste Africano  ao lado do Sudão, da Somália e do Quênia. Busca na agropecuária uma forma de melhorar a sua condição econômica com o PIB de US$ 126 bilhões (R$612 bilhões).
  • Irã: Está situado na Asia fazendo parte então do Oriente Médio. É proprietário da segunda maior reserva de gás natural no mundo. Com o PIB de US$ 388 bilhões (R$ 1,88 trilhões).
  • Emirados Árabes: Este país reside na Península Arábica é um dos maiores produtores de petróleo e de gás natural do mundo. Seu PIB é de US$ 507 bilhões (R$ 2,4 trilhões).